top of page

Como funciona o controle de pragas no Brasil?


Descubra o que é e como funciona o controle de pragas no Brasil.


O controle de pragas é uma preocupação constante em todo o mundo, e o Brasil não é exceção. Com a vasta diversidade de ecossistemas e a rica biodiversidade do país, o controle eficaz de pragas é essencial para a proteção da agricultura, saúde pública e preservação do meio ambiente. Neste artigo, exploraremos como funciona o controle de pragas no Brasil, desde métodos tradicionais até soluções sustentáveis.


O que é o controle de pragas?


O controle de pragas é o conjunto de práticas empregadas para gerenciar, reduzir ou eliminar organismos que são considerados prejudiciais às atividades agrícolas, florestais e até mesmo urbanas. 

No contexto da agricultura, o controle de pragas é essencial para garantir a saúde das plantações, a produtividade das lavouras e a qualidade dos produtos cultivados.


Pragas podem incluir uma ampla variedade de insetos, ervas daninhas, roedores, fungos e outros microorganismos que afetam adversamente o crescimento das plantas e a produção agrícola. 

Sem um manejo adequado, esses organismos podem causar danos significativos às culturas, resultando em perdas econômicas substanciais para os agricultores, como aponta a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), e podendo impactar a segurança alimentar.


Quais são as pragas mais comuns encontradas no Brasil?

O Brasil é um país com uma grande variedade de espécies de pragas, muitas das quais têm impactos significativos na agricultura, saúde e meio ambiente. Alguns exemplos de pragas comumente encontradas no país incluem:

  1. Broca-do-café (Hypothenemus hampei): esta pequena praga é uma das mais devastadoras para os cafezais. As larvas da broca se alimentam do interior dos grãos de café, reduzindo drasticamente a qualidade e o volume da produção;

  2. Lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda): essencialmente problemática para os cultivadores de milho, esta lagarta ataca as folhas, flores e espigas do milho, podendo causar perdas significativas;

  3. Ferrugem asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi): um fungo que ataca as plantações de soja, causando lesões nas folhas e podendo levar à desfolha precoce e à redução no tamanho dos grãos;

  4. Ácaro-rajado (Tetranychus urticae): praga comum em diversas culturas, incluindo algodão e soja, esse ácaro ataca as folhas, sugando sua seiva e causando o amarelecimento e queda prematura;

  5. Mosca-das-frutas (Diversas espécies do gênero Anastrepha e Ceratitis capitata): estas pragas são extremamente prejudiciais para a fruticultura, como mangas e citros. As larvas se alimentam do interior dos frutos, tornando-os impróprios para o consumo e venda.


O manejo eficaz dessas e outras pragas exige uma abordagem integrada que combine tecnologias avançadas, conhecimento local e práticas agrícolas adaptadas às condições específicas de cada região. 

Os esforços de pesquisa continuam a ser vitais para desenvolver estratégias de controle mais eficazes e sustentáveis, que protejam as lavouras e, ao mesmo tempo, minimizem os impactos ambientais.


Exemplos de controle de pragas 


O controle de pragas é uma questão multidisciplinar que envolve a participação de diversos atores, como agricultores, pesquisadores, empresas de controle de pragas e órgãos governamentais. 

A fim de garantir a eficácia e a segurança das medidas de controle, é importante seguir as melhores práticas estabelecidas pela ciência e pela legislação.Os métodos de controle de pragas utilizados no Brasil incluem:

  • Controle biológico: como mencionado anteriormente, o uso de agentes biológicos para controlar as pragas de forma natural e sustentável;

  • Controle químico: emprega pesticidas para eliminar ou reduzir as populações de pragas. Apesar de eficaz, seu uso requer cuidado para evitar a resistência das pragas, a contaminação ambiental e os riscos à saúde humana. O Brasil, como um dos maiores usuários de agroquímicos do mundo, tem enfrentado desafios crescentes relacionados a esses aspectos;

  • Controle cultural: práticas culturais, como rotação de culturas, plantio consorciado e uso de variedades resistentes, podem ajudar a reduzir a incidência de pragas;

  • Monitoramento e controle integrado: o monitoramento regular das pragas permite identificar a presença e o nível de infestação, possibilitando a adoção de medidas de controle adequadas. O controle integrado de pragas visa combinar diferentes métodos de controle de forma sinérgica, reduzindo a dependência de medidas químicas;


Como funcionam as leis de controle de pragas?

O controle de pragas no Brasil é regulamentado por leis e normas governamentais, visando garantir a segurança, a eficácia e a sustentabilidade das medidas adotadas. 


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) é o órgão responsável pela regulamentação do controle de pragas na agricultura.

Essas leis estabelecem requisitos para a fabricação, registro, comercialização, transporte, armazenamento, aplicação e descarte de produtos químicos utilizados no controle de pragas. Os pesticidas, por exemplo, precisam passar por um rigoroso processo de avaliação de segurança e eficácia antes de serem registrados para uso no país. Além disso, são estabelecidos limites máximos de resíduos (LMRs) para garantir que os alimentos não apresentem níveis prejudiciais de pesticidas.


O uso de pesticidas é regulamentado por leis que determinam quem pode aplicá-los, em que condições e em quais culturas. Profissionais responsáveis pela aplicação devem ser devidamente capacitados e seguir as instruções de uso dos produtos, além de utilizar equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados para minimizar os riscos à saúde.


O descumprimento das leis de controle de pragas pode resultar em penalidades que vão desde multas até a suspensão das atividades do estabelecimento infrator.


Por isso, é fundamental que produtores rurais, empresas do setor agrícola e profissionais envolvidos no controle de pragas estejam cientes das normas e regulamentos vigentes e atuem em conformidade com as mesmas.


Como funciona a tecnologia no controle de pragas? 


A tecnologia desempenha um papel cada vez mais importante no controle de pragas. Novas soluções tecnológicas têm surgido, visando melhorar a eficiência e a segurança das medidas de controle, bem como reduzir os impactos ambientais.

Algumas das tendências da tecnologia no controle de pragas incluem:

  • Uso de armadilhas eletrônicas: essas armadilhas utilizam sensores e iscas atrativas para monitorar e capturar pragas de forma mais precisa;

  • Sistemas de monitoramento remoto: o uso de sensores remotos e redes de comunicação permitem o monitoramento constante das áreas infestadas, facilitando a tomada de decisões e a aplicação precisa de medidas de controle;

  • Aplicativos móveis: diversos aplicativos têm sido desenvolvidos para auxiliar no monitoramento de pragas, identificação de espécies e fornecimento de informações sobre medidas de controle adequadas;

  • Uso de drones: os drones podem ser utilizados para mapear áreas infestadas, aplicar medidas de controle de forma precisa e monitorar a eficácia das medidas adotadas;

  • Tecnologia de biocida à base de RNAi: pesquisas estão em andamento para o desenvolvimento de biocidas baseados em RNAi, que podem afetar a expressão de genes específicos nas pragas, proporcionando um controle altamente seletivo e seguro.


O desenvolvimento e a adoção dessas tecnologias têm o potencial de revolucionar o controle de pragas, tornando-o mais eficiente, seguro e sustentável.

Conseguir dinheiro para a compra desse tipo de aparelhagem pode parecer difícil, mas há alternativas descomplicadas de custeio.


_____________________________________


O controle de pragas no Brasil é uma verdadeira batalha em prol da agricultura e meio ambiente. A diversidade de pragas e a extensão territorial do país tornam esse desafio ainda maior. No entanto, com o avanço da ciência e da tecnologia e a adoção de abordagens mais sustentáveis, o controle de pragas tem evoluído no país.


É essencial que o governo, pesquisadores, empresas do setor e agricultores, trabalhem juntos em busca de soluções inovadoras e sustentáveis para enfrentar os desafios do controle de pragas. Somente assim poderemos garantir a segurança alimentar, a saúde da população e a preservação do meio ambiente no Brasil.


Para implementar um controle de pragas eficaz, são necessários investimentos em tecnologias avançadas, equipamentos específicos, e produtos de controle biológico e químico. É aqui que os consórcios e o crédito rural entram como ferramentas financeiras essenciais.


Os consórcios permitem que os produtores planejem a aquisição de maquinários modernos, como pulverizadores de precisão e drones de monitoramento, sem pagar juros, distribuindo o custo em parcelas acessíveis. Isso facilita a implementação de tecnologias de controle de pragas de última geração, que podem ser caras quando compradas à vista.

Por outro lado, o crédito rural oferece linhas de financiamento com condições favoráveis, permitindo ao produtor investir em pesquisas, treinamentos, e produtos fitossanitários de alta eficácia. Com o crédito rural, o agricultor pode obter os recursos necessários para a compra de insumos e serviços que aprimoram o controle de pragas, garantindo colheitas saudáveis e produtivas.


A Saura agiliza o processo de obtenção de consórcios e crédito rural, oferecendo as melhores condições de mercado para os produtores rurais. Com uma estrutura eficiente e simplificada, a Saura garante rapidez e facilidade na aprovação e liberação dos recursos, permitindo que os investimentos em tecnologias e equipamentos para controle de pragas sejam realizados sem demora.


Além disso, a Saura oferece a melhor remuneração para seus parceiros, incentivando-os a recomendar seus produtos com confiança. Como parceira, você pode oferecer consórcios e crédito rural aos seus clientes com a tranquilidade de contar com uma empresa consolidada e respeitada no setor. 

A Saura proporciona o melhor suporte do Brasil, assegurando que tanto você quanto seus clientes recebam orientação especializada e assistência contínua. Dessa forma, a Saura não só facilita o acesso a recursos financeiros essenciais para o agronegócio, mas também fortalece a relação de confiança entre você e seus clientes.




Commenti


bottom of page